Infraestruturas Desportivas e a Prática de Actividade Física. O Caso do Estádio Nacional do Zimpeto

Gustavo Pascoal-Paipe, Crimilda Macanhe, Domingos Carlos Mirione

Resumen


O objectivo desta pesquisa é analisar a influência do Estádio Nacional do Zimpeto (ENZ) na promoção de hábitos da prática da actividade física e desportiva da população residente nos bairros circunvizinhos. Entretanto, é já sabido que o desenvolvimento de uma sociedade depende da sua qualidade de vida e bem-estar, e um dos factores na promoção desta, é a prática de actividades físicas e desportivas. Para o efeito, as infraestruturas desportivas são fundamentais, razão pela qual vários governos tem definido políticas para a previsão de espaços para a actividade física e desportiva. Em Moçambique, após a independência foi construído o ENZ porém estudos que abordam a sua influência na promoção de hábitos de prática da actividade física e desportiva dos residentes circundantes são escassos. É neste atinente que com uma margem de erro de 0,05%, foram selecionamos aleatoriamente 352 participantes de ambos sexos, com idades entre 18 a 60 anos, residentes nos bairros circunvizinhos com o intuito de colher a sua percepção sobre o papel do ENZ. Para a coleta de dados, foi aplicado um inquérito ad- hoc cuja análise obedeceu à estatística descritiva. Os resultados revelaram um número significativo de praticantes de actividade física e desportiva sendo a maioria residente nas proximidades da instalação o que sugere uma influência positiva e significativa na qualidade de vida da população residente nos bairros contíguos. Com esses resultados conclui-se que o ENZ exerce um impacto positivo na promoção de hábitos da prática da actividade física e desportiva da população residente nos bairros circunvizinhos.


Palabras clave


Infraestrutura Desportivas; Actividade Física; Estádio Nacional do Zimpeto.

Texto completo:

PDF

Referencias


Almeida, J. (2012). Planeamento e programação de instalações desportivas municipais. In J. Bento & J. Constantino (Eds.), Desporto e municípios: Políticas, práticas e programas (pp. 147 - 178). Lisboa: Visão e Contextos, Edições e Representações.

Bernardo, R., & Matos, M. (2003). Desporto aventura e auto-estima nos adolescentes em meio escolar. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 3(1), 33-46.

Biddle, S. J., Makland, D., Gilbourne, D., Chatzisarantis, N. L., & Sparkes, A. C. (2001). Research methods in sport and exercise psychology: Quantitative and qualitative issues. Journal of Sports Sciences, 19(10), 777-809.

Carmo, H. (2008). Metodologia da Investigação: Guia da auto aprendizagem (2ª ed.). Lisboa: UAB.

Carvalho, A. (1994). Desporto e autarquias locais: Uma nova via para o desenvolvimento desportivo nacional. Porto: Campo de Letras.

Carvalho, D. A. D. (2018). Análise da situação desportiva do Concelho de Vouzela. Covilhã: Diogo Afonso Dias Carvalho Disponivel em https://ubibliorum.ubi.pt/handle/10400.6/2307

Carvalho, M. J., & Paipe, G. (2017). As políticas desportivas e o desenvolvimento local: Enfoque nos munipios de Moçambique. Revista de Gerencia Deportiva, 1(2), 1 - 9.

Constantino, J. M. (1999). Desporto, política e autarquias. Lisboa: Livros Horizonte.

Corrêa, R. L. (1995). A dimensão cultural do espaço: alguns temas. Espaço e Cultura, Ano 1(1), 1-22.

Cunha, L. (2012). Planeamento urbano e espaços para a prática do desporto. In J. Bento & J. Constantino (Eds.), Desporto e municípios: Políticas, práticas e programas (pp. 117 - 130). Lisboa: Visão e Contextos, Edições e Representações.

Dava, J. (2004). Instalações Desportivas. Dimensionamento e Marcações de Espaços de Jogos. Fundo de Promoção Desportiva. Maputo.

Gallardo, L., & Gómez-Jiménez, A. (2004). La Gestión de los servicios deportivos municipales. Vías para la excelencia. Barcelona: INDE Publicaciones.

Januário, C., Sarmento, J. P., & Carvalho, M. J. (2010). Políticas públicas desportivas: “Desporto para todos” vs “desporto de elite”. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 10(3), 31 - 48.

Llane, J. I. B. (2012). Aspectos técnicos metodológicos a considerar en la ubicación de las infraestructuras fisico-deportivas recreativas. PODIUM, 7(1). Recuperado de: http://podium.upr.edu.cu/index.php/podium/article/view/307

MACAUHUB (2011). China entregou a Moçambique Estádio Nacional do Zimpeto. Recuperado de https://macauhub.com.mo/pt/2011/01/18/portugues-china-entregou-a-mocambique-estadio-nacional-do-zimpeto/

Marivoet, S. (2002). Aspectos sociológicos do desporto cultura física (L. Horizontes Ed.). São Paulo.

Mirione, D. C. (2013). A disponibilidade de infra-estruturas desportivas na cidade de Nampula. efdeportes.com, (186), 1. Recuperado de: https://www.efdeportes.com/efd186/infra-estruturas-desportivas-de-nampula.htm

Paipe, G., & Carvalho, M. J. (2016). Sport policies and environmental planning in municipalities of Mozambique. Paper presented at the 6th Institute of Physical Education. International Conference: Sports and Tourism in the 21st Century, Bangkok.

Paipe, G., Ubago, E., Rodríguez, S., Jorge, G. U., Felipe, J. L., Gallardo, L., & Carvalho, M. J. (2017). Políticas públicas desportivas: Análise prospetiva em Municípios de Moçambique. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto(2), 35 - 53. doi:10.5628/RPCD.17.02.35

Pires, G., & Sarmento, P. (2001). Conceito de Gestão do Desporto. Novos desafios, diferentes soluções. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 1(1), 88-103.

Prista, A. (2012). Sedentarismo, urbanização e transição epidemiológica. Revista Científica. UEM, Série: Ciências Biomédicas e Saúde Pública, 1(0), 28 - 38.

Ribeiro, E. R. (1999). Reflexão sobre a política desportiva em Moçambique: Diagnóstico sobre as instalações desportivas da cidade de Maputo. Campinas: E. R. Ribeiro.

Sarmento, J. P., & Carvalho, M. (2014). Gestão de instalações desportivas. In M. Arraya & M. N. G. Silva (Eds.), Tendências conteporrâneas da Gestão Desportiva (pp. 427 - 453). Lisboa: Visão & Contextos.




Copyright (c) 2021 Arrancada

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.